sábado, 25 de julho de 2009

Plano de Negócio – Parte I: Principais pontos

Um plano de negócio é um documento onde escrevemos as metas e objetivos de um negócio, é quando traçamos o caminho a ser percorrido para que essas metas e objetivos se tornem realidade. Um plano de negócios permite identificar e corrigir muitos erros, que poderiam ser cometidos com a empresa já em funcionamento, restringindo-os e diminuindo os riscos e as incertezas.

Com um plano de negócios bem definido podemos ter a certeza que se vale à pena abrir, manter ou até mesmo realizar investimentos que visem a ampliação do negócio.

A preparação de um plano de negócio exige persistência, comprometimento e pesquisa.

Podem ser usadas várias fontes de informação para realizar a pesquisa e coleta de dados sobre a atividade a ser desenvolvida, essas informações podem ser obtidas em jornais, revistas, palestras, cursos, associações, feiras, empresários do ramo, clientes, fornecedores, internet e principalmente profissionais da contabilidade legal habilitados.

O maior usuário do plano de negócios é o próprio empresário, mas ele pode ser utilizado também para captar investidores ou novos sócios, estabelecer parceiras com clientes e fornecedores, pode ser apresentado a bancos para a captação de recursos financeiros.

  1. Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Nesta etapa descreva as principais características do negócio. Por exemplo:

  • O que é o negócio;
  • Quais os principais produtos e/ou serviços;
  • Quem serão seus principais clientes;
  • A localização da empresa;
  • O montante de capital a ser investido;
  • Qual será o faturamento mensal;
  • Que lucro espera obter do negócio;
  • Em quanto tempo espera que o capital investido retorne;
  • Perfil da mão de obra a ser contratada.

2. Dados dos empreendedores, experiência profissional e atribuições

Defina o perfil dos empreendedores, bem como suas qualificações, habilidades e experiência profissional. Essas informações são importantes para utilizar a favor do negócio.

  • É importante que os objetivos dos sócios sejam os mesmos, pois os objetivos do empreendimento deve estar acima dos interesses pessoais;
  • A definição das tarefas antes de montar a empresa é fundamental, saber quem irá se dedicar as atividades operacionais, e quem irá cuidar da parte administrativa de empresa e importante para se evitar conflitos;
  • Defina, com antecedência, o valor da retirada pró-labore, a distribuição dos lucros e o quanto será reinvestido na empresa;
  • O grau de autonomia dos sócios deve ser definido nesta etapa, saber até onde cada um dos envolvidos sozinho, pode tomar decisões;
  • A definição da equipe de trabalho, a forma de contratação, deve ser feita em conjunto;
  • Determine um sistema de sucessão, o que acontecerá com a sociedade em caso de falecimento de um dos sócios ou não puder mais trabalhar;
  • É importante relacionar todos os pontos que poderão gerar conflitos e fazer disto um contrato devidamente assinado pelos sócios e registrado.
  • Verificar se os sócios não tenham pendências cadastrais junto a Receita Federal, Secretaria da Fazenda, INSS. Situações irregulares perante órgãos públicos, pode gerar impedimentos tanto no registro da empresa, como na obtenção de crédito.

3. Dados do empreendimento

Nesta etapa, deve ser informado o nome da empresa e o número de inscrição no CNPJ, Inscrição Estadual, Inscrição Municipal – caso ela já possua estes registros. Caso contrário, indique o número do CPF dos sócios.

4. Missão da empresa

É o papel desenvolvido pela empresa na sua área de atuação. É o objetivo da sua existência e o ponto de partida, dando identidade e rumo ao empreendimento.

Responda:

· Qual é o seu negócio?

· Quem é seu público consumidor?

· O que a sua empresa agrega para os seus colaboradores? Sejam estes empregados ou os sócios?

· E qual o valor da empresa para a comunidade onde está localizada?

5. Setores de atividade

Defina o qual é o negócio de sua empresa e o setor de atuação, a empresa pode atuar em mais de um setor da economia. Os setores podem ser: a agropecuária, a indústria, o comércio ou o setor de serviços.

· Agropecuária

São os negócios cuja atividade principal diz respeito ao cultivo do solo para a produção de vegetais (legumes, hortaliças, sementes, frutos, cereais, etc.) e/ou a criação e tratamento de animais (bovino, suíno, etc.).

· Indústria

São as empresas que transformam matérias-primas em produtos acabados, com auxílio de máquinas ou manualmente. Abrange desde o artesanato até a moderna produção de instrumentos eletrônicos.

· Comércio

São as empresas que vendem mercadorias diretamente ao consumidor – no caso do comércio

varejista – ou aquelas que compram do fabricante para vender para o varejo – comércio atacadista.

· Prestação de serviços

São as empresas cujas atividades não resultam na entrega de mercadorias e, sim, no oferecimento do próprio trabalho ao consumidor.

6. Forma jurídica

O primeiro passo para que uma empresa exista é a sua CONSTITUIÇÃO formal. Para tanto, é necessário definir sua forma jurídica. A forma jurídica determina a maneira pela qual ela será tratada pela lei, assim como o seu relacionamento jurídico com terceiros. A seguir, você encontrará informações básicas sobre as formas jurídicas mais comuns para micro e pequenas empresas:

  • Sociedade Limitada

Este tipo de empresa será constituída por duas ou mais pessoas para a criação de uma pessoa jurídica, com atividade industrial e/ou comercial. Quem exerce a atividade empresarial é a sociedade (representada pelos seus administradores), e quem responde pelas dívidas contraídas é o patrimônio da sociedade. Em síntese, a responsabilidade dos sócios é limitada.

  • Empresário

É aquele que exerce individualmente e de maneira organizada atividades voltadas para a produção ou comercialização de bens e serviços, sendo obrigatório seu registro na Junta Comercial. O nome da empresa será o nome do titular. O proprietário assume integralmente e de forma ilimitada os resultados e riscos, sejam estes por exemplo de ordem: trabalhistas, tributária, ambientais, etc.

  • Sociedade Simples Ltda

É a Empresa constituída, obrigatoriamente por duas ou mais pessoas, tendo por objeto apenas a prestação de serviços. As Sociedades Simples, reguladas pelo Código Civil, não podem praticar atos de comércio. As Sociedades Simples podem ser de profissão regulamentada, desde que, todos os sócios exerçam, através da Empresa, atividades de profissões legalmente regulamentadas e estejam domiciliados no país.

  • Empreendedor Individual

O Empreendedor Individual é a pessoa que exerce individualmente ou com no máximo um empregado as suas atividades. Para ser um empreendedor individual, é necessário faturar, no máximo, até R$ 36.000,00 por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

Entre as vantagens oferecidas por essa lei, está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilitará a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais.

Além disso, o Empreendedor Individual será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos impostos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL).

Pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 52,15 (comércio ou indústria) ou R$ 56,15 (prestação de serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo.

Com essas contribuições, o Empreendedor Individual terá acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros.

7. Enquadramento tributário

As Pessoas Jurídicas, por opção ou por determinação legal, são tributadas em geral por uma das seguintes formas: Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real.

As empresas que não se enquadram no simples nacional, recolhem os impostos da forma tradicional, ou seja, cumprem todos os requisitos previstos em lei para cada imposto existente, recolhendo-os de forma individual.

Já o Simples Nacional é destinado às empresas que – com possibilidade de enquadramento – irão se beneficiar da redução e simplificação dos tributos, além do recolhimento de um imposto

Em uma única guia junto à União. O enquadramento no SIMPLES está sujeito à aprovação da Receita Federal e leva em consideração o ramo de atividade e a estimativa de faturamento anual da empresa.

Além dos tributos federais, são devidos impostos e contribuições para o Governo Estadual (ICMS) e Municipal (ISS).

8. Capital Social

O capital social é representado por todos os recursos (dinheiro, equipamentos, ferramentas, etc.) disponibilizados pelo (s) empresário(s) para a constituição do empreendimento. É necessário determinar no contrato social da empresa, no caso de sociedade, o valor do capital que cada sócio irá investir e o seu percentual.

9. Fonte de recursos

A fonte de recursos para os atos constitutivos da empresa, e o inicio das operações são definidos nesta etapa do plano de negócio, onde você irá determinar de que modo serão obtidos estes os recursos, que poderão ser próprios, de terceiros ou de ambos (que compreende investidores ou bancos).

2 comentários:

  1. estou precisando urgente de algumas dicas para montar um plano de negocio, para um trabalho no meu curso de tec em adm.tenho que montar um empresa ficticiaestou com muitas dificuldades.
    manda algumas dicas para mim no meu e-mail.
    moara17a@yahoo.com.br
    desde ja agradeço.

    ResponderExcluir